Home / Programação

Programação

21 DE AGOSTO // 2016

Em 2016, o Festejo do Tambor Mineiro será realizado no dia 21 de agosto, das 10h às 20 horas, em frente à Associação Cultural Tambor Mineiro – Rua Ituiutaba, 339, Prado – em Belo Horizonte. Na entrada, 1 KG de alimento não perecível. Os alimentos serão doados para os festejos de guardas e irmandades do Rosário.



Manhã / Tarde

Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário e Sagrado Coração de Jesus - Irmandade Os Carolinos

Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário e Sagrado Coração de Jesus - Irmandade Os Carolinos

Bairro Aparecida // Belo Horizonte (MG) // Fundada em 1917


[Foto: Netun Lima]

Guarda de São Jorge de Nossa Senhora do Rosário

Guarda de São Jorge de Nossa Senhora do Rosário

Bairro Concórdia // Belo Horizonte (MG) // Fundada em 1938

 

[Foto: Netun Lima]

Guarda de Moçambique Treze de Maio de Nossa Senhora do Rosário

Guarda de Moçambique Treze de Maio de Nossa Senhora do Rosário

Bairro Concórdia // Belo Horizonte (MG) // Fundada em 1944

 

[Foto: Patrick Arley]

 

Irmandade de Nossa Senhora do Rosário

Ibirité (MG) // Fundada em 1950

Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário - Irmandade Nossa Senhora do Rosário Os Ciriacos

Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário - Irmandade Nossa Senhora do Rosário Os Ciriacos

Contagem (MG) // Fundada em 1954

 

[Foto: Netun Lima]

Massambique Nossa Senhora do Rosário e Nossa Senhora da Mêrces (Leonídios)

Massambique Nossa Senhora do Rosário e Nossa Senhora da Mêrces (Leonídios)

Oliveira (MG) // Fundada em 1964

 

[Foto:  © Aldo Alighieri]

Banda Dançante do Rosário de Santa Efigênia

Banda Dançante do Rosário de Santa Efigênia

Conselheiro Lafaiete (MG) // Fundada em 1967

 

[Foto: Netun Lima]

Guarda de Congo Feminina de Nossa Senhora do Rosário

Guarda de Congo Feminina de Nossa Senhora do Rosário

Bairro Aparecida // Belo Horizonte (MG) // Fundada em 1973

 

[Foto: Netun Lima]

 

Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário e São José

Guarda de Moçambique Nossa Senhora do Rosário e São José

Bairro Inconfidência // Belo Horizonte (MG) // Fundada em 1987

 

[Foto: Netun Lima]

Guarda de Congo de São Benedito

Guarda de Congo de São Benedito

Santa Luiza (MG) // Fundada em 1995

 

[Foto: Netun Lima]

Guarda de Moçambique do Divino Espírito Santo

Guarda de Moçambique do Divino Espírito Santo

Bairro Aparecida // Belo Horizonte (MG) // Fundada em 1999

 

[Foto: Netun Lima]

Guarda de Moçambique de São Benedito

Bom Despacho (MG)

Tarde / Noite

Júlia Dias e Grupo de Atabaque

Júlia Dias

Formado a partir das aulas ministradas por Júlia Dias e Maurício Tizumba na Associação Cultural Tambor Mineiro, o Grupo de Atabaque trabalha os cantos e ritmos do candomblé, como Congo de Ouro, Ijexá, Barravento e Cabula, além de sambas e canções da música popular brasileira. No Festejo 2016, o grupo se apresenta com a cantora e percussionista Júlia Dias.

 

[foto: Mirela Persichini]

Belisario Tonsich e Grupo Afrolatino

Belisario Tonsich

O músico Belisario Tonsich vem desenvolvendo um trabalho de divulgação e valorização da cultura latino-americana na Associação Cultural Tambor Mineiro através de aulas de cajón afroperuano e Bombo Leguêro. Belisario se apresenta com seus alunos, propondo uma viagem por ritmos como zamacueca, landó, festejo, chacarera e zambas.

 

[foto: Júlia Dias]

Manu Ranilla e Grupo de Pandeiro

Manu Ranilla

Formado a partir das aulas de pandeiro ministradas na Associação Cultural Tambor Mineiro, o Grupo de Pandeiro investiga as diversas possibilidades do instrumento e os ritmos brasileiros através de estudos práticos e teóricos. No Festejo 2016, os alunos se apresentam ao lado da professora Manu Ranilla.

 

[foto: Luiza Villarroel]

Encontro (Alemanha)

Encontro

Vindo diretamente da Alemanha, o grupo de percussionistas apresenta-se como "maracatu e samba reggae de Mühldorf".

 

[foto: divulgação]

Spasso Escola Popular de Circo

Spasso Escola de Circo

Fundada em 1996 e idealizada por profissionais das áreas artísticas e de educação, a Spasso Escola Popular de Circo é referência no estado de Minas Gerais em ensino, pesquisa e produções culturais voltadas às artes circenses. Além de oferecer cursos livres de acrobacia aérea, acrobacia de solo, malabarismo e equilibrismo, a Spasso oferece também o curso de formação profissional na arte do circo.

 

[foto: Festejo do Tambor Mineiro]

Carla Gomes

Carla Gomes

Carla Gomes começou a cantar e a tocar violão aos 12 anos na Capela São Pedro, na comunidade da Vila Ventosa, e não parou mais. A autenticidade de sua voz, o swing nato ao violão, aliados à sua facilidade em compor, logo chamou a atenção do público de outros artistas de sua cidade e também de outros estados do pais. No final de 2014, lançou seu primeiro álbum “O Tempo Sou Eu”, com produção do músico Liminha, e em 2015 recebeu indicação de melhor cantora no 26° Prêmio da Música Brasileira, ao lado de reconhecidas cantoras brasileiras. Não se prendendo a um estilo musical, traz em sua música a ancestralidade dos ritmos afro-brasileiro, para um diálogo com o pop, o reggae, o soul, o samba e a MPB.

 

[foto: Marcus Santiago]

Bloco Saúde

Bloco Saúde

O Bloco Saúde reúne mais de 60 colaboradores, médicos cooperados e convidados, que ensaiam semanalmente no Espaço Cultural Tambor Mineiro, patrocinado pelo Instituto Unimed-BH, por meio de seu Programa Cultural. O Bloco apresenta-se em ações do Instituto, festivais, shows e em eventos internos da Cooperativa, sob a regência de Júlia Dias e Maurício Tizumba.

 

[foto: Fernando Lutterbach]

Sérgio Pererê

Sérgio Pererê

O músico, cantor, compositor e multiinstrumentista Sérgio Pererê é um intérprete de timbre peculiar, melódico e potente. De djembé a guitarra, de charango a rabeca, o seu domínio de diversos instrumentos o faz figurar entre os grandes instrumentistas da cidade, com destaque para o trabalho como percussionista. Soma-se a isso o compositor profundo - mas que não se perde em hermetismos - cujas composições já foram gravadas por nomes como Ceumar, Titane, Eliana Printes, Fabiana Cozza e Maurício Tizumba, além de ser cantado por nomes como João Bosco, Milton Nascimento, Chico César e Vander Lee.

 

[foto: Pedro Furtado]

No Chilla

No Chilla

Criado em 2005, o No Chilla é formado por oito músicos-percussionistas argentinos apostam em uma mistura de tradições e sons contemporâneos. O grupo têm a pesquisa de diferentes caminhos na improvisação e composição sua principal marca.

 

[foto: Max Letcher]

 

Passistas Dancy e Mirim (Lá da Favelinha)

passinho

Os passistas Dancy e Mirim, que integram o centro cultural Lá da Favelinha – localizado na Vila Novo São Lucas e autogerido pela comunidade –, apresentam o passinho foda oriundo das comunidades do Rio de Janeiro que chegou em BH pelo youtube e hoje são uma verdadeira febre na cidade.

 

[foto: divulgação]

Gilson Silveira

Gilson Silveira

Percussionista brasileiro natural de Belo Horizonte, Gilson Silveira reside na Itália desde o final da década de 1980 e já trabalhou com músicos de varias partes do mundo com passagens nas músicas pop, jazz, latina, africana e árabe. Investigador de sons de diferentes nações e culturas, apresenta em seu trabalho ritmos como candombe uruguaio, cumbia, mapale, currulão da Colômbia, além de sons dos países árabes (como Melfuf, Saidi, Samai 10/4 e Shabi), cubanos (como mozambique, bembe, conga habanera e conga oriental) e peruanos.

 

[foto: Mirela Persichini]

Paulo Santos

Paulo Santos

Paulo Santos é musico multi-instrumentista. Co-fundador do Grupo Uakti, apresentou-se com o grupo durante 37 anos em shows, gravação de álbuns e DVDs, realização de workshops e viagens pelo Brasil e por diversos países. Atualmente, da início à sua carreira solo com o show "Pílulas Sonoras", com direção do videomaker Éder Santos e poesias de Vera Casanova. É também diretor artístico do Instituto Kairós, projeto com sede em São Sebastião das Águas Claras (Macacos) que atende crianças e adolescentes.

 

[foto: Foca Lisboa]

Mauricio Tizumba + Bloco Tambor Mineiro

Mauricio Tizumba

Mauricio Tizumba se apresenta ao lado do Bloco Tambor Mineiro, grupo de percussão surgido a partir das oficinas da Associação Cultural Tambor Mineiro.

Mauricio Tizumba se destaca por fazer um percurso de grande relevância para a cultura afro-brasileira. Em toda a sua história musical, que teve início na década de 60, Tizumba traz consigo a forte influência do congado mineiro, manifestação cultural e religiosa que resiste há mais de três séculos enquanto importante símbolo de expressão da cultura negra em Minas Gerais. E assim, o artista se mostra verdadeiramente envolvido com a popularização e perpetuação da identidade cultural do nosso povo. Sua trajetória marca também a intenção de ampliar o acesso à cultura em Minas Gerais, buscando a disseminação da arte entre todas as classes e grupos sociais, levando sempre seus trabalhos sempre às ruas e às praças.

 

[foto: Netun Lima]

Flávio Renegado

Renegado

Nascido e criado na comunidade do Alto Vera Cruz, em Belo Horizonte, Flávio Renegado enxergou na música um caminho que o faria voar alto. Ainda adolescente, fez as primeiras rimas influenciado por Racionais MC’s e outros nomes do rap. Aos poucos, desenvolveu uma carreira com personalidade, na qual mistura as rimas a outras referências musicais. Em 2008, lançou o disco de estreia Do Oiapoque a Nova York, trabalho que o levou para shows na Europa, Oceania e todas as Américas. A conclusão deste ciclo foi em um show memorável no Central Park, em Nova York. O sucessor Minha Tribo É o Mundo (2011) trouxe uma sonoridade mais urbana, influenciada pela multiplicidade dos movimentos sonoros contemporâneos. Renegado concluiu a primeira etapa da carreira com o lançamento do CD e DVD Suave ao Vivo (2014), que teve direção musical de Liminha e Kassin, além da direção artística de Gringo Cardia. Em 2015, o artista lançou o EP “Relatos de um Conflito Particular”, que traz como tema os sete pecados capitais ilustrados em sete faixas. Seu mais recente trabalho é “Outono Selvagem”, que reúne as canções do EP e inéditas num mesmo álbum com 14 canções.

 

[foto: Daryan Dornellas]

 

Bloco Oficina Tambolelê

Tambolelê

Criado em 1999 pelos músicos Santonne Lobato, Geovane Sassá e Sérgio Pererê, o Bloco Oficina Tambolelê tornou-se logo referência em Belo Horizonte ao unir pesquisa, música e cultura afro. Os encontros realizados nas ruas do Novo Glória, região Noroeste de Belo Horizonte, inicialmente reuniam jovens do bairro para tirar som de instrumentos de percussão convencionais e alternativos como panelas, latas, tampas de alumínio e tacos de madeira. Após mais de uma década de história, o Bloco Oficina Tambolelê redescobre a cada dia uma maneira de manter viva sua crença de que a arte tem o poder de transformar e vencer barreiras. A busca pela valorização da cultura afro-mineira continua sendo princípio básico desse trabalho.

 

[foto: divulgação]




Compartilhe: